29/10/2014

#Resenha 26, O Resgate, do autor Nicholas Sparks.

Mais um livro desse autor que admiro tanto. O Resgate foi mais uma história que me fez refletir sobre as verdadeiras amizades. A história conta a vida de Denise, uma mãe solteira que luta sozinha para cuidar do seu filho Kyle de quatro anos. O livro como quase todos os outros do Nicholas, é narrado em terceira pessoa, e é possível entendermos os dois personagens. 

Li esse livro rapidamente, a história é muito boa. Tem partes muito tocantes e reflexivas. Vou contar um pouquinho para vocês sobre como é a história.

O livro começa com Denise chegando a nova casa. Como sempre há uma tempestade, rsrs, Nicholas ama isso. Denise sofre um acidente e ao acordar percebe que Kyle não está mais dentro do carro. Creio que não seria necessário ser uma mãe, para entrar em desespero, por que qualquer pessoa entraria, pois o local do acidente fica próximo aos mangues e como estava em meio a uma tempestade o local estava inundado. Para a salvação de Denise surge um homem na estrada, Taylor, um voluntário do corpo de bombeiros da cidade. Denise entra em desespero e pedi a ajuda de Taylor para encontrar seu filho. Bem, depois que Denise conhece Taylor, muitas coisas acontecem na vida dos dois. Denise se sente segura ao lado dele, mas Taylor guarda um grande segredo que é capaz de afastar qualquer pessoa que esteja próxima a ele. 
Tenho que confessar, Nicholas Sparks me fez chorar dentro do ônibus lendo esse livro, mas calma.. não é nada do que vocês estão pensando. Ele simplesmente fez algo para mostrar o verdadeiro valor de uma amizade e que quando um amigo lhe dar um conselho para o seu bem, é por que ele gosta de você, porém somos tolos às vezes, e perdemos muitas oportunidade, principalmente a de agradecer. 

Resenha feita por Tony Ferr

26/10/2014

#Resenha 25, O Duque e Eu, da autora Julia Quinn.


Imagem perfeita para representar essa família!

Antes de dar a minha opinião sobre o livro, preciso dizer que Julia Quinn entrou para a lista dos meus autores preferidos, ocupando o terceiro lugar. Me apaixonei pela escrita dessa autora, isso ficou tão claro, que dentro de dois dias li o livro de 281 páginas (e olhe que eu só lia dento do ônibus). Bem, sem mais enrolação vamos ao que interessa. 

O Duque e Eu é simplesmente envolvente, é um livro no qual nos prende por completo, já fazia alguns meses que eu não lia um livro assim e confesso; como é boa essa sensação. O livro faz parte de uma série chamada Os Bridgertons publicados pela Editora Arqueiro.
A história do livro 1, O Duque e Eu, narra a vida de Daphne Bridgertons filha da viscondesa Violet Ledger. Daphne é a mais velha das quatro filhas, e a quarta dos oito filhos. Sim! A família é grande. Vejam a árvore genealógica que a autora fez para o livro. 


Daphne é rica e simpática, mas nunca conseguiu impressionar nenhum homem da alta sociedade, a não ser é claro, Nigel Berbrook, um homem que tenta a simpatia da jovem custe o que custar, porém Daphne mantém firme sua empatia por ele. Se vocês perceberem o nomes dos oito irmãos são em ordem alfabética, esse é um dos motivos para  que eles sejam motivos de zombaria de uma misteriosa cronista Lady Whistledown que ninguém conhece sua identidade, mas a bendita dita cuja sabe quase tudo que ocorre em Londres! Dá para imaginar, você ser vigiado por alguém que ninguém conhece, mas tem poder suficiente para manchar a imagem de qualquer família! Pois é, Lady Whistledown é mais ou menos assim, eu primeiramente tenho que confessar, me diverti muito com as críticas e fofocas que saem no jornal da cidade onde aparece no inicio de cada capítulo. Mas... deixando a fofoqueira para lá, voltamos para Daphne.

A personagem é muito divertida, não só ela como toda essa família. É impossível não amar cada um deles. Bem, para a surpresa de Daphne chega em Londres o irresistível duque de Hastings. Rico, bonito, e solteiro é um prato cheio para as mães da alta sociedade, que só pensam em arrumar um bom partido para suas filhas (trecho da sinopse). Simons Basset é o melhor amigo de Anthony irmão de Daphne. Isso já foi um bom começo, mas Simon quer tudo, menos um casamento e isso é o que ela mais deseja. Gente isso não é spolier ok, muitas dessas coisas tem na sinopse, por que o segredo do livro mesmo ninguém nem imagina.

Simon conhece Daphne e para ajudá-la ele decide fingir que a corteja, pois se um duque a deseja, isso prova que ela é uma ótima esposa. Após esse acordo maluco entre eles, a vida de Daphne muda completamente, mas é completamente mesmo gente! Porém... não irei contar mais nada. 
Uma narrativa repleta de humor e com capítulos emocionantes, Julia Quinn é uma talentosa autora. Alguns pessoas comparam ela com Jane Austen, mas discordo completamente, pois a única coisa que elas têm em comum é por que ambas as autoras escrevem livros que se passam em Londres no século 18, fora isso nada mais tem em comum. Bem acredito que depois desse meu depoimento, por que não foi uma resenha rsrrss, você se interesse pelo livro. Sem contar que estão em promoção no Submarino. Eu já terminei de ler o segundo livro! Uhull em breve resenha! 



Resenha feita por Tony Ferr



18/10/2014

Novidades!!

#MagisteriumDay

05/10/2014

#Resenha 24 Arrabal e a Noiva do Capitão, da autora Marisa Ferrari.

Resenha Arrabal e a Noiva do Capitão!

Por onde começar? Sinceramente a única coisa que eu podia dizer era que o livro era simplesmente bonito. Arrabal não é apenas mais um romance, ele tem toda a magia de um livro com os encantos do teatro fundidos nessas 368 páginas. Marisa Ferrari soube perfeitamente mesclar essas duas artes em apenas uma. 

O livro conta a história de um grupo de teatro, conhecido antigamente como Saltimbancos, que viajavam de cidade para cidade fazendo apresentações. Arrabal o criador da trupe, é um personagem que Marisa construiu de uma forma que é impossível não gostar dele. Suas ações são algo que marcam a história e a vida dos outros personagens do livro. Mamma como é chamada uma das atrizes da trupe, nossa! O que dizer dela? Bem, sabem aquele tipo de mãe que ama todos, mas se for necessário dar um beliscão e um cascudo ela não pensa duas vezes? Essa é a Mamma. 

Com Arrabal e a Noiva do Capitão você viaja por Nápoles do século 18, vivencia aquele lugar de forma especial. Pois acho que não existe nada melhor do que conhecer um povo, através da sua arte. O livro é narrado em terceira pessoa, ou seja, a escritora conta-nos tudo. Bem, até ai é tudo alegrias, porém quando Giordano aparece na cidade, um estado de euforia toma conta dos atores da trupe e das mulheres da nobreza, pois ele é um soldado leal ao rei. Um homem, rico, da aristocracia que deixa todas as mulheres delirando. Porém para a surpresa de todos Giordano tem um irmão gêmeo, Arrabal. Isso não é spoiler ok, gente, está bem claro na sinopse atrás do livro rsrs. 
Bem esses dois personagens que Marisa criou, levam a história a um desfecho totalmente inesperado. Arrabal, ou melhor, Giuseppe, é um ator de teatro, alegre, sonhador, um poeta que acredita que a vida deve ser aproveitada da maneira que você desejar. Giordano é o filho de honra do seu pai, o braço direito do rei, um cavalheiro, um homem que qualquer mulher da corte deseja ter como esposo. Mas em toda essa história surge Luigia, uma nobre, filha da riqueza. 

Essa mulher conhece primeiramente Arrabal, quando está na praça da cidade assistindo uma das apresentações da trupe na carroça. Mas como o próprio nome do livro diz, Arrabal e a Noiva do Capitão, Luigia é escolhida para ser a noiva do bonito e valente soldado Giordano. Não posso contar mais nada, por que só você lendo o livro para entender a situação que a autora deixa esses três personagens. Além do mais tem Vittoria, outra personagem encantadora e que eu já falei à autora que Vittoria merece um livro só para ela!

A história do livro gira em torno da trupe, dos nobres e do teatro. O livro possui muitas características reais. Primeiro: em muitas passagens o livro trás falas em italiano. Mas, calma ai, o livro não é todo assim, são apenas expressões, tipo: Dio Santo! Mamma Mia! Per l’amor di Dio!. Achei algo bem diferente no livro. A narração é sem sombra de dúvida, algo extraordinário na história. Marisa sabe escrever muito bem, as palavras são postas com leveza e com um desenrolar livre. Se a história não fosse boa, apenas com a narração a autora estaria se sobressaindo. Bem você quer conhecer personagens reais? Que tem sonhos? Que sofrem como nós, que amam como nós? E precisam tomar decisões tão difíceis, que muitas vezes, nós que somos de carne e osso não temos coragem de tomar. Bem, Arrabal e a Noiva do Capitão é assim. Um livro encantador, bem escrito e com um desfecho imaginável. Giordano e Giuseppe, dois irmãos que amam a mesma mulher, mas diante disso tudo o destino lhes dá apenas uma escolha. Qual será? Garanto que quem ler não irá se arrepender. 

Quase esqueci de mencionar, os direitos do livro foram comprados pela Rede Globo para adaptação de uma minissérie. Então imagina, será que o livro é bom? Leia antes que saia a adaptação! 

DICAS LITERÁRIAS | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2016 | POR:
COMPRE AQUI O LAYOUT QUE SEU BLOG MERECEBILLION DOLLAR LAYOUTS